terça-feira, outubro 13, 2009

Ladeiras de Monsaraz " NÓS POR CÁ "

Ladeiras de Monsaraz " NÓS POR CÁ "

http://sic.sapo.pt/online/video/informacao/Nos+Por+Ca/2009/10/associacao-acusa-cm-reguengos-de-monsaraz-de-obras-ilegais-e-perseguicao.htm

Ladeiras de Monsaraz " NÓS POR CÁ "

http://sic.sapo.pt/online/video/informacao/Nos+Por+Ca/2009/10/associacao-acusa-cm-reguengos-de-monsaraz-de-obras-ilegais-e-perseguicao.htm

Ladeiras de Monsaraz " NÓS POR CÁ "

http://sic.sapo.pt/online/video/informacao/Nos+Por+Ca/2009/10/associacao-acusa-cm-reguengos-de-monsaraz-de-obras-ilegais-e-perseguicao.htm

clicar no link

O Caso das Ladeiras " NÓS POR CÁ "

http://sic.sapo.pt/online/video/informacao/Nos+Por+Ca/2009/10/associacao-acusa-cm-reguengos-de-monsaraz-de-obras-ilegais-e-perseguicao.htm

quarta-feira, julho 29, 2009

Informações Gerais PRODER

http://www.monte-ace.pt/proder/index.html



http://www.monte-ace.pt/PRODER_Ficha_+Intencao_v3-2008.pdf

http://www.monte-ace.pt/Apresentacao-PRODER.pdf

Proder/Leader/Eixo 3/Subprog. 3


A ADIM, à semelhança do que aconteceu com os anteriores programas de desenvolvimento rural “LEADER 2” e “LEADER plus”, vai mais uma vez dinamizar este meio de apoio, com fundos perdidos, a pequenos projectos de desenvolvimento na sua zona de intervenção, que abarca a freguesia de Monsaraz, o Concelho de Reguengos de Monsaraz e as freguesias dos concelhos limítrofes que fazem continuidade territorial e estratégica com os princípios que defendemos para um desenvolvimento sustentado e centrado na defesa da cultura, do património e da paisagem local em sentido alargado.

O Consorcio MONTE, que é constituído, para além da ADIM, pelas associações ALLIENDE (Montoito) TRILHO (Évora) e MONTES CLAROS (Borba) foi reconhecido como GAL - Grupo de Acção Local - e viu aprovada a sua Estratégia de Desenvolvimento para as Zonas Rurais (Eixo 3 do PRODER) do Alentejo Central, que foi objecto de uma candidatura nacional.

A estratégia de desenvolvimento apresentada tem por principal objectivo dinamizar as iniciativas económicas nas zonas rurais e estimular a criação de emprego. Estima-se que a estratégia aprovada possa apoiar mais de 22 milhões de euros de investimento para a qual está consagrado um apoio do Ministério da Agricultura na ordem dos 12 milhões de euros, a fundo perdido, para toda a zona de intervenção do MONTE.

Nos anteriores programas, a zona de intervenção da ADIM tem alcançado sempre excelentes resultados, quer em número de projectos apoiados, quer em montantes de investimento, quer ainda em taxas de execução, pelo que será de esperar que a dinâmica local possa responder e dar bom uso a uma parte significativa do orçamento deste programa.


Faça o registo da sua ideia numa Ficha de Intenção de Candidatura, para eventuais candidatos ao Programa de Desenvolvimento Rural (Proder), subprograma 3 - Dinamização das Zonas Rurais, Eixo 3 .

Para esclarecimentos adicionais deverá contactar o GIR da ADIM.


Telefone: 966 021 991

Fax: 266 509 716


sexta-feira, abril 10, 2009

O peixe, afinal, não morreu pela boca...

Município de Reguengos condenado mais uma vez no caso das ladeiras de Monsaraz. É o terceiro recurso favorável à ADIM.

O Tribunal Central Administrativo do Sul (TCAS) emitiu nova sentença favorável à ADIM. É a terceira decisão de um colectivo de juízes relativamente a este caso, que se arrasta incompreensivelmente desde Agosto de 2007. O Município de Reguengos tem interposto sucessivos recursos com a intenção de arrastar o caso e de o fazer esquecer no tempo, mas a estratégia está a correr mal, e em todos os recursos tem sido condenado. O peixe, afinal, não morreu pela boca.
Pela terceira vez, um colectivo de 3 juízes, de instância superior, e de composição diferente, dá de novo razão à providência cautelar que a ADIM (Associação de Defesa dos Interesses de Monsaraz) interpôs em Tribunal, relativa à destruição de Património em Monsaraz praticada pelo Município, que foi de novo condenado a pagar as custas neste caso de construção de obras ilegais em zona classificada como Monumento Nacional. Recordamos que estão em causa as obras dos novos parques de estacionamento e das ladeiras de acesso à vila medieval, construídos
em Zona de Protecção das muralhas, e em desacordo com as técnicas de construção normalmente usadas em sítios patrimoniais sensíveis, como é o caso de Vila de Monsaraz.
Novamente a Justiça reconheceu, e pela terceira vez, o protesto formal da ADIM contra a destruição do património, e mais uma vez vem mostrar a gravidade dos actos praticados pelo Município que desrespeitou as leis em vigor no nosso país sobre obras e sobre a protecção de património classificado.
A ADIM congratula-se com este novo facto e verifica com satisfação que o objectivo pelo qual tem lutado - a suspensão das obras ilegais em Monsaraz - é justo e fundamentado. Aguarda-se finalmente a revisão da sentença, e a reparação, dentro do possível, dos prejuízos históricos e patrimoniais provocados.

quarta-feira, abril 08, 2009